Romeo Mancini: “Pornô é minha paixão”

Terra de estrelas como Rocco Siffredi e Omar Galantti, a Itália não tem toda essa boa fama no universo pornô por acaso. E vamos combinar, todo mundo merece um bom homem italiano, não é? Másculos, peludos, dotados, os italianos exalam testosterona. Um deles, inclusive, é bastante apreciado por nós aqui do Inside Porn.

Estamos falando de Romeo Mancini. E não, não é o famoso pintor italiano de mesmo nome, conhecido ali pelas bandas da Perúgia, mas de um italianozão de 1,85 de altura e 95 quilos, que também faz arte com todos os seus 19cm de talento, mas só que sem roupa e pau duro.

Nascido na paradisíaca ilha da Sardenha, Romeo, hoje com 33 anos, imigrou há cinco para os Estados Unidos porque achava que seus sonhos eram grandes demais para a pequena ilha de pouco mais de 24 mil km².

Massagista profissional, ele conta pra gente um pouquinho sobre sua vida e seus planos de começar a produzir conteúdo solo. E como todo italiano, aparece sempre bem vestido, com jaquetas bonitas e um bom drink.

Romeo tem tatuado nas pernas a frase “Bella Vita”. Não esconde de ninguém que carrega nas veias a paixão pela vida e pelo que faz.

Apesar de você ser um gato e bom ator, por que ainda vemos tão pouco de você nas produções?

Antes de responder a sua pergunta, gostaria de agradecer por todo apoio e suporte que o Inside Porn dá para minha carreira nesta indústria. O fato é que eu nunca foquei apenas no meu trabalho como ator pornô, mas em vários outros negócios em paralelo que me permitem fazer mais dinheiro do que as gravações. A verdade é que eu encaro o pornô mais como uma paixão, um hobby, do que qualquer outra coisa.

E é possível aliar uma carreira dessas com outro trabalho?

É sim. Eu gravei a minha primeira cena cinco anos atrás, para Vince Voyer. Eu continuei filmando e parando, filmando e parando, e nunca estive 100% disponível. É possível aliar o trabalho de ator pornô com outro, mas, ao mesmo tempo, não é possível fazer um nome, uma carreira nesta indústria trabalhando nela apenas uma parte da sua vida. Se você quer gravar bastante e trabalhar para as principais empresas, então você realmente precisa se comprometer 100%. E, ah, sim, ter um agente por trás.

Mesmo assim, hoje em dia existem plataformas em que os atores se mostram mais, além das produções milionárias…

É verdade. Embora eu tenha gravado com muitas atrizes, algumas delas famosas, eu concordo com você. Eu definitivamente preciso começar a focar neste outro lado do pornô, que é a produção independente. Pretendo ter mais tempo e começar a gravar cenas solos, acho que tenho um público masculino cativo pra isso.

Já que tocamos neste assunto, há chance de vermos você gravando alguma cena gay?

Eu agradeço imensamente todo o apoio que recebo de fãs gays, mas não gravarei uma cena do gênero. A resposta é porque simplesmente não me sinto atraído por homens. Embora, como eu falei, vou começar a prestar mais atenção neste público ao fazer vídeos solos e customizados. Em breve, vocês terão novidades.

Você é italiano. Como foi essa mudança de vida para os Estados Unidos?

Eu nasci na ilha mais linda do mundo, a Sardenha, Itália. Mas logo cedo percebi que, embora belíssima, a ilha era muito pequena para os meus sonhos e minha curiosidade, então comecei a viajar o mundo. Sempre quis morar nos Estados Unidos e viver o sonho americano, como dizem por aí, então foi atrás deste sonho que vim pra cá. Eu falava um inglês ainda ruim quando mudei, mas sou muito bom em aprender idiomas. Eu adoraria aprender a falar português brasileiro.

Chegou a filmar cenas na Itália ou o pornô começou nos EUA?

Sim, na Itália cheguei a filmar cenas amadoras, mas nada muito sério.

E o que você faz para ganhar a vida além de ator pornô na América?

Eu sou massagista e tenho parceria na promoção do MMA na Europa e também trabalho com carros. Eu gosto de esportes de combate, como o boxe, o MMA e o Jiu-jítsu brasileiro. Eu vou visitar o Brasil um dia, muito pela minha admiração ao Jiu-Jitsu praticado aí. Além disso, gosto muito de cozinhar.

img_0358

Venha, serás muito bem-recebido…

Sim, os brasileiros são como os italianos. Somos muito parecidos culturalmente. Até arrisco algumas palavrinhas e frases em português, algo como: “voce es una garota muito lida, una gatinha”. Risos.

Para um cara seguro como você, a opinião dos outros realmente importa?

Eu nunca me fiz essa pergunta e sinceramente é difícil responder. Eu estou feliz comigo mesmo e não presto muita atenção ao que as pessoas vão pensar com o que eu faço da vida.

É verdade que os italianos são os melhores na cama?

Risos. Brincadeiras a parte, eu sinceramente não acho que isso esteja ligado à nacionalidade. Ser bom de cama tem a ver com conexão entre pessoas.

Siga o garotão no Twitter: @romeomancinixxx

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s